27 de maio de 2013

A paz que fez o homem chorar

Estava cansado, mais um dia de trabalho difícil e o que mais queria era chegar em casa e tomar um bom banho e relaxar a mente e o corpo. O ônibus lotado em plena sexta-feira na avenida Pompeia, horário de pico. Os pensamentos  viajavam por estradas inimagináveis, lugares  e tempos remotos, escondidos em sua mente tal qual um tesouro de valor imensurável. O dia estava quente e abafado, nem mesmo havia aquela brisa suave para refrescar. Eis que se aproxima um rapaz de óculos escuros e que se senta ao seu lado, sem nem ao menos pedir licença, o que já o deixou um pouco irritado “ Quanta falta de educação...”O tráfego continuava parado, quando o rapaz ao seu lado começa a ouvir uma música no celular em um volume suficientemente alto para deixá-lo nervoso. A música dizia assim “Os teus olhos me viram antes de nascer e desde cedo tens cuidado de mim...” Parecia ser uma música de crente ou algo parecido, mas mesmo assim aqueles versos foram deixando-o com uma fúria que não foi possível controlar. Com nenhuma educação dirigiu-se ao rapaz e esbravejou:- Será que você não vê que ninguém está a fim de ouvir essa música horrorosa?! O rapaz, muito sem graça, abaixou o volume, tirou os óculos escuros e disse assim:- Perdoe-me, é que não posso enxergar, por que nasci cego, só posso escutar e se o senhor prestou atenção no que diz a música, desde cedo Deus cuidou de mim, pois perdi meus pais quando ainda era um bebê, fui cuidado por minha avó e hoje volto do trabalho contente, graças à educação que me foi dada por ela, e uma das coisas de que ela sempre me lembrou foi de que devemos amar ao próximo como a nós mesmos. Peço-lhe mais uma vez perdão, não queria deixá-lo nervoso, mas mesmo não enxergando o seu rosto sinto que você é uma pessoa boa, só teve um dia ruim.Depois disso, o rapaz voltou a colocar os óculos escuros, enquanto o outro pedia-lhe licença, pois já ia descer. O ônibus foi embora, se perdendo naquele horizonte de carros e prédios da paisagem paulistana. Ele foi até uma praça, sentou-se e começou a chorar, a chuva começou a descer e não mais se sabia que quem chorava mais era o céu ou o próprio rapaz. Os seus olhos sãos não vislumbravam a paz que o outro, mesmo sem poder enxergar, conseguia vivenciar, apesar de todas as dificuldades pelas quais passou em toda a sua vida. Ele tinha paz. E você? Tem?

Nenhum comentário: